Eficiência energética precisa melhorar no Brasil

Esquerda
 

A Plataforma 2018: Brasil do Amanhã discutiu o futuro da energia e seus impactos no desenvolvimento do país no dia 01 de outubro, das 18h às 21h, no auditório do Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro.

Na ocasião, Amanda Schutze, pesquisadora do Climate Policy Initiative e professora da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), defendeu vários pontos, entre os quais a necessidade de as inovações legais acompanharem as tecnológicas, a melhora de nossa eficiência energética e a definição de prioridades nas políticas para o setor.

Para Amanda, precisamos, sobretudo, aprimorar o marco regulatório, para incentivar e estimular o desenvolvimento das energias renováveis e aumentar a eficiência energética, para reduzir a necessidade de consumo futuro.

Outro ponto levantado por Amanda foi a necessidade de o país definir prioridades na política energética, tanto em termos econômicos como ambientais. "O governo deve estabelecer um diálogo muito transparente com a sociedade e propor políticas públicas em parceria com o setor privado para estimular o aumento da eficiência energética nas indústrias e, com isso, aumentar a competitividade da indústria brasileira", analisou.

2018: Amanda Schutze - Planejamento Energético

Energia Solar