2018: Brasil do Amanhã debateu Florestas

Esquerda
 

Desmatamento precisa acabar

Para discutir a economia das Florestas e sua contribuição para a construção de uma agenda social, climática e biodinâmica para o país, a Plataforma 2018: Brasil do Amanhã realizou um debate no dia 17 de setembro, a partir das 18h, no auditório do Museu do Amanhã.

Com curadoria do Museu do Amanhã, a mesa de debates foi composta por:

* Adriana Ramos, Coordenadora do Programa de Política e Direito Socioambiental do Instituto Socioambiental (ISA).
* André Baniwa Presidente da Organização Indígena da Bacia do Içana (OIBI).
* Adalberto Veríssimo Co-fundador do Imazon.
* André Ferreti Gerente Economia da Biodiversidade da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza.

A mediação foi do jornalista Marcelo Lins (GloboNews). 

As propostas que surgiram deste debate:

* Acabar o desmatamento no Brasil

* Não incentivar monoculturas

* Promover o desenvolvimento sustentável das regiões de florestas

* Proteger as reservas indígenas

* Respeitar a Cultura Indígena como fonte de conhecimento

Acompanhe ao vivo

Verde
Esquerda
 

Participe pelas redes sociais

A Plataforma 2018: Brasil do Amanhã está no Facebook, no Twitter, no Instagram, no YouTube e no Spotify

Participe de nossas conversas, compartilhe o conteúdo e vamos juntos construir o #BrasildoAmanhã. 

Esquerda
 

A Plataforma 2018: Brasil do Amanhã

Em tempos de tanta polarização, falar de eleições e de política não tem sido fácil para ninguém. O Brasil, os brasileiros e as brasileiras necessitam debater temas que nos são caros e que nem sempre estão na pauta política, de modo a desenvolver agendas propositivas para o país neste ano tão decisivo para o Brasil.

A Plataforma 2018: Brasil do Amanhã é uma iniciativa do Museu do Amanhã, com apoio da Fundação Roberto Marinho, da Globo, da GloboNews, do Instituto Clima e Sociedade (iCS) e do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS). Ela foi criada para elevar o nível da pauta política de 2018. Esperamos que os debates realizados no Museu do Amanhã e as demais ações realizadas pela Plataforma 2018: Brasil do Amanhã nas redes sociais possam ajudar a esclarecer a sociedade e aproximá-la do processo político, pois, só assim, com a sociedade participando do processo político, vamos conseguir transformar e melhorar o nosso Amanhã.